> Elisa entre gotas de poesia

Canto primaveril




Eu não sei por que
Mas já chegou a Primavera
E um dia eu acordei
Sem querer
E vi passarinhos
Cantando em minha janela
Borboletas à minha espera
Garota sincera
Quem pudera
Eu fui passear
Pelo parque
E não avistei mais
Aquela moça
Com uma echarpe
Colorida
Deve estar em algum lugar
Apreciando margaridas

Adoro falar em francês



Bonjour
Adoro falar em francês
Você já frequentou algum restaurante?
A senhorita está tão
Charmosa e elegante
Passeando com esse Pequinês 
Que lindo abajour!
O nome do meu enamorado
É Arthur!
Petit Gateau
Eu te prometo que amanhã eu vou
Vai para aonde?
Para Paris
Oui
Ou visitar o meu avô
Talvez eu até vire
Uma atriz pornô?
Ne parle français
Não!
Uma miss
E fique famosa
Comendo pão francês
E jogando moedas em um chafariz
Com um lorde inglês

Contos de uma transplantada



   A Elisa é poeta, escritora, atriz, compositora, uma artista que ama a arte, ama chocolate, ama dançar, ama falar, ama estudar,etc, etc, etc, ... Tudo bem, tudo isso nós já sabemos, se clicarmos lá em cima no topo do blog na categoria "sobre a autora".
  Mas, você sabia que a Elisa também é transplantada renal?
  Não?
  Pois é, e ela já fez dois transplantes!
  Dois?
  Sim!
  E por isso, ela criou esta página para falar de seus contos de transplantada, já que seus dois rins têm muitas histórias para contar!




Era uma vez... 
Primeiro capítulo: A descoberta

Eu tinha apenas seis anos de idade quando a minha doença crônica foi descoberta.
Nefronoftise!
Que bicho é esse?
É uma doença hereditária, autossômica recessiva, cística medular, que vai afetando a função renal gradativamente através de cistos.
Quer saber mais sobre esta doença?
Acesse
http://www.merckmanuals.com/pt-us/profissional/dist%C3%BArbios-geniturin%C3%A1rios/doen%C3%A7a-renal-c%C3%ADstica/complexo-da-doen%C3%A7a-renal-c%C3%ADstica-medular-e-nefronoft%C3%ADsica

Mas somente a partir dos 6 anos de idade eu comecei a apresentar alguns sintomas, como por exemplo:

- Anemia
- Perda de apetite
- Troca de alimentos sólidos por líquidos

E mia madre ho pensato (minha mãe pensou):
"Meu Deus, o que há de errado com essa menina que não quer comer nada!".
Nada, nada, nada, nada mesmo!
Eu somente ingeria líquidos, muita água e sucos, e um "pouquinho" de refrigerantes em festas de aniversários. Sabe como é, festinhas dos anos 80, feitas em casa, bolo, negrinho, cachorro quente, balão surpresa, lembrancinhas, família, amigos, vizinhos, coleguinhas da escola, e tudo que uma criança tinha direito!



Minha mãe me levou ao pediatra, e num dado primeiro momento veio a súbita suspeita de LEUCEMIA!
O quê?

Isso mesmo, Leucemia!
Mas não era nada disso, não menos pior o diagnóstico!
Feito os exames, resultado:
A creatinina lá em cima, passando dos 3.0.
Diagnóstico confirmado:
Nefronoftise.

A escocesa




Eu posso falar
Pra você
Que um dia
Eu conheci uma
Garota escocesa
Ela era
Clara de cabelos ruivos
Com descendência inglesa
Tinha uma beleza selvagem
Gostava de cavalgar
Entre os bosques
E admirar a neve
Nas paisagens
Diz a lenda
Que sua imagem
Era uma miragem
Uma guerreira
Meio bruxa
Meio feiticeira
Que ajudava
O povo de sua aldeia
A entender os mistérios da vida

Lascio i fiori in tuo cammino



Non posso dire
Che io non lo so vivere senza l'amore
Ma solo una canzone
Può dirmi cosa sento
In mio cuore
C'è un cielo
Nel mio inverno
Che appena sa cantare
Quando ti guarda
Da sola
Guardando il mare
Forse
Potrei solo parlare
Una volta
O cantare in francese
Che questo amore
Che pulsa in mio cuore
Fa rumore di allegria
C'è una sola sinfonia
Tra di noi
Che solo il mare
Conosce e canta
Posso persino aspettare
Un'eternità
Possono passare secoli
Ma non posso dire
Che tu non mi manca mai
Sento la speranza
Nel tuoi occhi
Da qui
Sento il vento che soffia
Nella tua direzione
Dove la luna
Da sola sa
Superare l'oscurità
In compagnia di stelle
Che scommessono
Nella nostra unione
Non posso essere vicino altrimenti
Il nostro destino
È già così giusto
E se qui
Per ora
Devo essere da solo
Lascio i fiori in tuo cammino