> Elisa entre gotas de poesia: Quando já virou amor

Quando já virou amor







Nunca chorei por ter te perdido
Sou um romântico esquecido
Atrás das cordas
Desse meu violão
Meu sonho preferido?
Acordar e tomar
Café com pão!
Que situação
Desta paixão
Que já virou amor
Amor platônico
E eu...
Que sempre te achei
Tão cômico
É irônico
Essa estradinha
Onde curva a vida
Quando você percebe
Já virou
Doce manteiga derretida
Mas que mulher
Desinibida
E tão comunicativa
De um desejo latente
A paixão é como
Um redemoinho
Faz um estrago na gente
E depois
Simplesmente
Se despede
Vai embora
E vira amor...

0 comentários:

Postar um comentário