> Elisa entre gotas de poesia: Maio 2017

Poste de rua





Eu vi um poste de rua
Iluminando uma calçada
Eu vi um poste de rua
Na beira de uma estrada
Eu vi um andarilho
Tomando leite com sucrilhos
Sentado em um banco de praça
Embriagado sob a fumaça
De seu cigarro
Ao lado do poste de luz
Passavam alguns carros...
Embaixo de um poste de luz
Tinha um senhor de chapéu
Meio esquisito
Penteando seus poucos cabelos
Caçando moscas
Matando mosquitos!
Eu vi o amanhecer
Atrás de um poste de rua
Tinha uma mulher dançando valsa
Sozinha
E ela estava nua
Cantando para um rapaz
Só de bermuda
Jura?
Eu vi um poste de luz
Com seus fios enrolados
Em um galho de árvore
Do nada
Me deu vontade de comer
Cuscuz ou escondidinho de carne?

Viagem





Uma noite
Nessa estrada
Mais uma jornada
Novamente,
Abandono minha casa
Carros voam como o vento
Hoje, quase aconteceu
Um atropelamento
Penso na vida
Nos maus e bons momentos
Noite quente, enluarada
Estou exausta, cansada
Dirigindo mais uma vez
Nessa velha estrada...
Ao som dos insetos
Reflito:
O que é errado,
O que é certo?
Perco-me em meus pensamentos
Escuto buzinas
Meio sonolenta
Imaginei ter visto minha menina
Bela bailarina
Que bailava ao ritmo das cantigas
Coração doce, face serena
Minha grande amiga, minha pequena!

Pingos de chuva - Raindrops




Pingos de chuva no meu jardim
Pingos de chuva no meu capim
Pingos de chuva no meu jasmim
Pingos de chuva em cima de mim!
Pingos de chuva não vão ter fim?
Pingos de chuva no meu varal
Pingos de chuva no meu quintal
Pingos de chuva no meu avental
Pingos de chuva no meu jornal
Pingos de chuva na minha janela
Pingos de chuva na cara dela?
Pingos de chuva na passarela
Pingos de chuva na Cinderela!
Pingos de chuva lá na favela
Pingos de chuva na minha tigela
Pingos de chuva na minha varanda
Pingos de chuva molham a minha canga

Abbraccio




Abbraccio il tempo
Abbraccio il vento
Abbraccio il mondo
Abbraccio tutti
Abbraccio la morte
Abbraccio la fortuna
Abbraccio il mare
Abbraccio il fidanzato all' altare 
Abbraccio per festeggiare
Abbraccio di piangere
Abbraccio a gridare
E desiderare una buona salute
Abbraccio le tue idee
Abbraccio le tue virtù
Abbraccio la fatica
La gioa di un pagliaccio
Ogni realizzazione 
Che si succedere passo per passo
Abbraccio il cuscino
Il cantante, il postino
Ogni fiori dell mio giardino
Abbraccio il bambino
Abbraccio tutto il mondo
Tutti i giorni
Abbraccio il dottore
Abbraccio la infermiere
Abbraccio la spiaggia
Abbraccio la brezza
E fino quello
Ragazzo a petto nudo!


Abraço





Abraço o tempo
Abraço o vento
Abraço o mundo
Abraço tudo
Abraço a morte
Abraço a sorte
Abraço o mar
Abraço o noivo no altar
Abraço para se festejar
Abraço para se lamentar
Abraço para gritar
E desejar boa saúde
Abraço tuas ideias
Abraço tuas virtudes!
Abraço o cansaço
A alegria de um palhaço
A caatinga do cangaço
Cada conquista sua
Que se dá passo a passo!
Abraço o travesseiro
O cantor, o carteiro,
Cada flor do meu canteiro
Abraço todo mundo
O dia inteiro
Abraço o médico
Abraço o enfermeiro
Abraço a praia
Abraço a brisa
E até aquele rapaz
Sem camisa!                            

Princesas e super-heróis

                  





Valente 

Merida
Não queria se casar
Nem tampouco 
Um príncipe encantado
Tão cedo encontrar
Sonhava em ser livre
Cavalgar 
Pelas planícies selvagens da Escócia
Não queria um pretendente 
Nem usar um espartilho
Vestido
Apertado e quente nas costas
Tinha sua própria meta
Seu esporte preferido?
Arco e flecha!

Folhas de outono





Caem folhas sobre mim
Em cima da minha janela
Em cima do meu jardim
Folhas secas de outono
Estou com insônia
Estou sem sono!
Alguém tocou a campainha
Disse a vizinha!
Atende o modorno
E continuam caindo
Sobre mim
Folhas secas de Outono!

Entre gotas de chocolate



Apenas uma fatia de torta

Torta doce
Torta salgada
Torta congelada
Torta de maçã
Torta de cenoura com beterraba!
Torta de café da manhã
Com amêndoas e romãs!
Torta assada
Hein garçom
Alguém pediu essa torta?
Torta errada!
Rabanada
Torta de café
Torta de cappuccino
Torta de picolé!
Alguém por favor
Serve uma torta para aquele menino?
Torta de cereja
Torta de sobremesa
Farelinhos de pão de ló
Escondidos embaixo da mesa!

Una luna fra di noi




Non posso dire che cosa fai
Perche c'è una luna fra di noi
Non posso sentire tuoi capelli in miei occhi
Se questa luna non uscire fra di noi
Non posso dire una sola parola
Senza toccare in suoi labbri
Con questa luna fra di noi
Girasoli
Non c´è mancanza 
Non c´è destinazione 
O alcuna stagione
Con questa canzone
Di una luna fra di noi
Neanche il mare puoi baciare i suoi piedi
Con la ombra di questa luna fra di noi
Che cosa si puoi fare?
Guardare questa luce tra due occhi dimenticati
Chiama il vento
Chiama il sole
O faccia una domanda per la luna
Forse lei ti risponda
Che soltanto
Starà sempre fra di noi

A floresta nada encantada



Era uma vez
Uma floresta nada encantada
Onde o Lobo não era mau
E dava altas risadas
Contando piadas
Sem graça
Para a dona garça
Que andava de patins
Em um rio congelado
De pinguins bailarinos
Completamente atrapalhados
Seguindo o ritmo do sino
Sonhavam em voar
Para a Sibéria
Na carruagem da vovozinha
Uma tal de Dona Quitéria
Que vendia doces e tortas salgadas
Para os Três Porquinhos
Recém vizinhos da
Bruxa que não era malvada!

Sentada embaixo de uma árvore



Sentada embaixo de uma árvore
Eu leio o mundo
Eu vejo absurdos
E mordo um pedaço de maçã
Como chocolates com avelã
E tento decifrar alguns códigos
Em meus pensamentos
Até penso que sou sã
Por um breve momento
Uma cidadã qualquer
Que sonha com personagens
Lê textos
Lê gestos
Lê mensagens
Toma um café
Meio aguado, meio preto
Adocicado
 E finge que sabe fumar
Um cigarro...
Na rua ao lado
Passou um carro
Um ambulante me oferece um cravo
E eu continuo ali,
Sentada
Embaixo de uma árvore
Quase sem folhas
De um Outono
Que ainda nem passou...                  


No balanço




No balanço
Ela voa
Ela sente a brisa
Os pingos da garoa
Ela tem lembranças
Ela ri à toa
No balanço
Ela quase toca o céu
Suas tranças
Tentam alcançar as nuvens
Mas ela não é Rapunzel!
É embaixo de uma árvore qualquer
Que ela brinca com as pétalas de uma flor
De bem-me-quer
E embalada pelo balanço
Ela sonha em encontrar o amor
O amor dos pássaros
Que assoviam sem direção
Em algum lugar
Eles cantam
E ecoam uma canção!
No balanço
Seus pés não conseguem
Alcançar o chão!

Vorrei solo abbracciarla al mare



      Vorrei solo abbracciarla al mare e cercare raggiungere la luna in una riunione di luci notturne. Forse, io fino provasse baciare le stelle dal cielo se il sole non sarebbe geloso quando si sveglia. Se potessi, io ballerei tra le nuvole di un castello dove le montagne nascondono i colori del cielo. Vorrei solo potere ballare con te in una mascherata sotto la cura della luna, in modo che la strada sarebbe stata deserta, con solo il silenzio dei tuoi occhi. A quel punto solo vorrei abbraciare a te con il soffio del vento che cammina in montagna. Non c'è alcun senso in guardare il cielo, se non cerchiamo le stelle che si nascondono tra pianeti nell'universo dimenticato. Vorrei solo abbraciare a te e sentire che tu sei stata qui. Avrei giurato che stava guardando il sole e cercando pesce al mare, solo un luogo per riposare i piedi e rilassare la schiena in una passeggiata di autunno. Una pioggia di foglie tra un percorso di alberi facciono che voi cercate gli uccelli nel cielo, che volano a sud di qualche luogo tropicale. Continuo a vedere che si abbraccia al mare e fare richieste per una stella cadente, sdraiata sul l'odore della terra bagnata tra le gocce di pioggia che si trovano in una sinfonia unica sul bordo di un fiume.