> Elisa entre gotas de poesia: Lá no sítio

Lá no sítio





Lá no sítio
Eu sinto o sabor das maçãs
Eu acordo
Todos os dias
Bem cedinho pela manhã
Mesmo quase não querendo acordar
Com o barulho da queda d´água
Tentando imitar
O som do mar
Onde minha alma
Pensa em mergulhar...
É lá no sítio
Que o tempo passa devagar
Os pássaros podem voar
Cantar e assoviar em liberdade
O pica-pau e o bem-te-vi
Até já fizeram amizade
Com um beija-flor
Que ficou flertando
Com girassóis e margaridas
Isso só pode ser amor
As folhagens ficam rindo sozinhas
Sentindo cócegas
Com o vaivém de tantas formigas!                                                                                                



Lá no sítio
Eu posso sentir
Toda a tranquilidade
De uma cadeira de balanço
Que deixa saudades
Por seu balançar, por seu descanso
Vejo galinhas, patos, marrecos
E gansos
Eu danço
Com o aroma de um café fresco
Meus cabelos com a suavidade do vento
Quase tentam ficar crespos!
E o cheiro da grama molhada?
Tem cuca de abacaxi
Tem cuca de goiaba
Queijo colonial com goiabada cascão
O pão recém saiu do forno
Aceita canela com leite morno?
Os grilos cantam para avisar que anoiteceu
E o galo com insônia
Canta para lembrar
Que o sol já nasceu
Lá atrás de uma colina
Lá no sítio
Quem acorda cedinho
Consegue se perder no breu da neblina
Até a bailarina sai da rotina
E quando as flores ainda meninas
Desabrocham na primavera
Algumas pétalas de rosa
Flutuam sobre o azul da piscina!
Em meados de Outono
O friozinho que entra pela janela
Já faz bocejar
Dá até sono
Espera...
Quando vai anoitecer
Pingos de chuva
Podem trazer
Mariposas e vagalumes
Que ficam com ciúmes
Das lamparinas
Ainda acesas na varanda da casa
Sobre a mesa
Compota de manga
E uma joaninha de asas semi abertas
Tentando voar
Para um campo noturno
Sem rumo
E antes da primeira estrela se encostar
Sobre a tangência do céu de Saturno
Um velho senhor
Agricultor
Saboreia seu pão com mel
Abaixa a aba de seu chapéu
E adormece
Sonhando
Que ainda está
Lá no sítio
Onde a lua
Perdeu seu anel
Num carrossel de cavalos livres...







3 comentários:

  1. Que lindo! Retrata aquelas vivencias maravilhosas da vida simples em sítios e fazendas pelo interior...doces lembranças até mesmo para mim, que nao morei, mas já curti férias inesquecíveis em sítio de parentes. Parabéns pelo talento!
    Beijos,
    Alessandra | ♥ Alessandrices ♥

    ResponderExcluir
  2. Que linda poesia! Eu li e me lembrei do lugar que minha avó mora, muito nostálgico. Cada linha me lembrava alguma coisa ♡ não sou muito de ler poesias, mas gostei bastante, principalmente por me trazer lembranças ♡ parabéns!

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi
    Que lindo ☺ eu adoro poesia.
    Você escreve super bem 👏
    Bjo

    ResponderExcluir