> Elisa entre gotas de poesia: 2017

Contos de uma transplantada



A LENDA DA FÊNIX
Sim, eu renasci como uma Ave Fênix.
Tudo começou no ano de 2014...
Fiquei hipertensa 26/19 de tanto estresse que passei por trabalhar na PMPA. Vida de professor não é fácil e eu como transplantada renal há 25 anos não aguentei o trampo! Não tinha resistência física e somente neste ano eu adoeci mais de 20 vezes (pneumonia, gripes, anemia)! Chegava em casa e só chorava e junto a tudo isso ainda tinha que escrever para o mestrado, corrigir provas e ficar noites sem dormir! E com isso minha função renal foi se indo...Comecei a perder muito cabelo e a me sentir muito fraca.
Não desisti! No ano de 2015 eu tentei a licença médica, mas ela me foi negada e tive que me exonerar e depois disso? Meu rim piorou muito. Eu ainda tinha esperança de reverter o quadro, pois somente as palavras CATETER E HEMODIÁLISE me faziam sentir vontade de morrer!
A creatinina subia e descia e eu sempre com fé que meu rim Rick (nome em homenagem ao cantor Rick Martin, que fazia muito sucesso no ano de 1991) iria resistir, afinal eram 25 anos de transplante (05.10.1991)!

Uma gaivota voando no céu



Uma gaivota voando no céu
Um pingo de chuva
Caindo sobre a pétala de uma flor
Um beija-flor namorando um girassol
Vento empurrando nuvens
Grama molhada
Devagarzinho
Já chega o sol
A chuva parou
O vento levou
A rosa desabrochou
Junto às violetas
Que acordaram bem cedinho
Para dizer bom dia
Estrada deserta
Um garoto ria
Comendo chocolate
Enquanto seu avô
Bebia mate
Uma gaivota no céu
Voando além das estrelas
E procurando
Sabedoria entre os planetas
Um menino
Andando de carrossel
Apaixonado
Pelo drama
De Romeu & Julieta

Um conto americano





Ele era jogador de basquete
Ela uma cheer leader famosa
Loira
Gostosa
Popular
Que mascava chiclete
Goma de mascar
Rebolando e mexendo seu pompom
De rabo de cavalo
Meia soquete e batom
Ele era atleta
Em alto e bom tom
Tinha um olho verde
E o outro marrom
Se reencontraram no
Colegial
Eram colegas
Até aí
Tudo bem
Tudo normal
Very Cool
Que legal
Anos 80
Jack convidou Kate
Para o festival
Baile de formatura
Eram vizinhos
Amigos de infância
Ai que fofura!
Ela desceu as escadas
Tão radiante
Aos 17 anos
Com seu vestido
Rosa choque
De decote chocante
Ele tinha um Thunderbird
Azulado
Que seu pai
Tinha lhe emprestado
Para Kate não
Desgastar seus sapatos prateados!

Rocambole de chocolate




Rocambole de chocolate!
Ai que delícia!
Quem foi que tossiu?
Deu um beijo na Letícia?
Eu não fui...
Rocambole de chocolate
Me dá uma garfada?
Se você não provar esse pedaço
Vou roubar sua namorada!
Não!
Eu provo
Mais que cremoso
Com essa peruca
De aniversário
Você parece o Bozo!
E esse recheio é feito de nata?
E ontem na festa...
Você sabe
Quem ficou com a Renata?
Lasquinhas de chocolate
Derretem na boca
Meu deus
Letícia
Essa mulher é louca!
Essa calda de brigadeiro
Vai manchar a minha roupa!
Deixa de frescura!
Esse rocambole de chocolate
É uma loucura!




Canto primaveril




Eu não sei por que
Mas já chegou a Primavera
E um dia eu acordei
Sem querer
E vi passarinhos
Cantando em minha janela
Borboletas à minha espera
Garota sincera
Quem pudera
Eu fui passear
Pelo parque
E não avistei mais
Aquela moça
Com uma echarpe
Colorida
Deve estar em algum lugar
Apreciando margaridas

Adoro falar em francês



Bonjour
Adoro falar em francês
Você já frequentou algum restaurante?
A senhorita está tão
Charmosa e elegante
Passeando com esse Pequinês 
Que lindo abajour!
O nome do meu enamorado
É Arthur!
Petit Gateau
Eu te prometo que amanhã eu vou
Vai para aonde?
Para Paris
Oui
Ou visitar o meu avô
Talvez eu até vire
Uma atriz pornô?
Ne parle français
Não!
Uma miss
E fique famosa
Comendo pão francês
E jogando moedas em um chafariz
Com um lorde inglês

Contos de uma transplantada



   A Elisa é poeta, escritora, atriz, compositora, uma artista que ama a arte, ama chocolate, ama dançar, ama falar, ama estudar,etc, etc, etc, ... Tudo bem, tudo isso nós já sabemos, se clicarmos lá em cima no topo do blog na categoria "sobre a autora".
  Mas, você sabia que a Elisa também é transplantada renal?
  Não?
  Pois é, e ela já fez dois transplantes!
  Dois?
  Sim!
  E por isso, ela criou esta página para falar de seus contos de transplantada, já que seus dois rins têm muitas histórias para contar!




Era uma vez...

Primeiro capítulo: A descoberta

Eu tinha apenas seis anos de idade quando a minha doença crônica foi descoberta.
Nefronoftise!
Que bicho é esse?
É uma doença hereditária, autossômica recessiva, cística medular, que vai afetando a função renal gradativamente através de cistos.
Quer saber mais sobre esta doença?
Acesse
http://www.merckmanuals.com/pt-us/profissional/dist%C3%BArbios-geniturin%C3%A1rios/doen%C3%A7a-renal-c%C3%ADstica/complexo-da-doen%C3%A7a-renal-c%C3%ADstica-medular-e-nefronoft%C3%ADsica

Mas somente a partir dos 6 anos de idade eu comecei a apresentar alguns sintomas, como por exemplo:

- Anemia
- Perda de apetite
- Troca de alimentos sólidos por líquidos

E mia madre ho pensato (minha mãe pensou):
"Meu Deus, o que há de errado com essa menina que não quer comer nada!".
Nada, nada, nada, nada mesmo!
Eu somente ingeria líquidos, muita água e sucos, e um "pouquinho" de refrigerantes em festas de aniversários. Sabe como é, festinhas dos anos 80, feitas em casa, bolo, negrinho, cachorro quente, balão surpresa, lembrancinhas, família, amigos, vizinhos, coleguinhas da escola, e tudo que uma criança tinha direito!



Minha mãe me levou ao pediatra, e num dado primeiro momento veio a súbita suspeita de LEUCEMIA!
O quê?

Isso mesmo, Leucemia!
Mas não era nada disso, não menos pior o diagnóstico!
Feito os exames, resultado:
A creatinina lá em cima, passando dos 3.0.
Diagnóstico confirmado:
Nefronoftise.



                                                             Segundo Capítulo


Após descobrir a causa da minha anemia, minha mãe me levou ao nefrologista, e descobriu que a minha creatinina já estava muito alta para uma criança de seis anos de idade. Nesta época, ainda não era recomendado fazer transplantes em crianças, pois além do alto risco, deveria-se perder toda a função renal para posteriormente entrar em diálise peritonial. Foi um longo período de tratamento tomando muitos remédios, injeções, fazendo aplicações de "Eritropoetna" e "Noripurum", e mais e mais exames, mas apesar de tudo isso, tive uma infância perfeita com muita imaginação e criatividade.

A escocesa




Eu posso falar
Pra você
Que um dia
Eu conheci uma
Garota escocesa
Ela era
Clara de cabelos ruivos
Com descendência inglesa
Tinha uma beleza selvagem
Gostava de cavalgar
Entre os bosques
E admirar a neve
Nas paisagens
Diz a lenda
Que sua imagem
Era uma miragem
Uma guerreira
Meio bruxa
Meio feiticeira
Que ajudava
O povo de sua aldeia
A entender os mistérios da vida

Lascio i fiori in tuo cammino



Non posso dire
Che io non lo so vivere senza l'amore
Ma solo una canzone
Può dirmi cosa sento
In mio cuore
C'è un cielo
Nel mio inverno
Che appena sa cantare
Quando ti guarda
Da sola
Guardando il mare
Forse
Potrei solo parlare
Una volta
O cantare in francese
Che questo amore
Che pulsa in mio cuore
Fa rumore di allegria
C'è una sola sinfonia
Tra di noi
Che solo il mare
Conosce e canta
Posso persino aspettare
Un'eternità
Possono passare secoli
Ma non posso dire
Che tu non mi manca mai
Sento la speranza
Nel tuoi occhi
Da qui
Sento il vento che soffia
Nella tua direzione
Dove la luna
Da sola sa
Superare l'oscurità
In compagnia di stelle
Che scommessono
Nella nostra unione
Non posso essere vicino altrimenti
Il nostro destino
È già così giusto
E se qui
Per ora
Devo essere da solo
Lascio i fiori in tuo cammino

Céu amarelado







O inverno
Está indo embora
Espera mais um pouquinho
Logo agora
Chega a hora da Primavera
Com o canto dos passarinhos
Joaninhas e borboletas
Voam sozinhas
As folhas das árvores
Já não caem mais
Sinto o cheiro das flores
E o calor do vento
Te traz uma certa paz
O inverno está se despedindo
Um pouco de frio
Um pouco de chuva
E o sol
Vai se abrindo
E novas cores
Com outros amores
Vão surgindo
O céu não parece estar mais
Tão acinzentado
Ao entardecer
Já tem um tom alaranjado
Lá na minha rua
Flores amarelas
De um jasmim
Caem ao meu lado
Talvez eu sinta falta
Desse inverno
De uma menina
Friorenta
Que gosta de se exibir
De gravata e terno

A garota francesa







Ela era
Meio burguesa
Apaixonada por chocolate
E sobremesas
Tinha um requinte
De princesa
Sofisticada
Da alta aristocracia francesa
Gostava de tomar
Café
Com bolinho inglês
Antigamente
Teve uma paixão platônica
Por um escocês
Que não durou muito
Pouco mais de um mês
Um encantamento
De súbito
Talvez...
Um rapaz
Que ela havia conhecido
Nas padarias
De Paris
Ele até poderia ter sido
Seu marido
Mas
Ela sempre sonhou e quis
Ser top model
Cantora
Talvez miss
Vivia de arte
Uma atriz
De muita sorte
Que atuava com
Seus musicais
Por toda parte
Uma artista de rua
Que cantava
Dançava
Quase nua
Com seus vestidos floridos...

O anel



Uma vez, quando eu era criança, a minha avó materna chegou com três anéis. Um tinha uma pedrinha quartzo rosa, o outro tinha uma pedrinha jade/esmeralda verde e o outro uma pedrinha topázio azul. Ela mostrou os três delicados e pequenos anéis banhados a ouro às suas três espevitadas netas, incluindo eu e disse bem assim:
-- Que cor vocês querem meninas?
Advinha só? As três netas com pouca diferença de idade escolheram o anel rosa. E agora vó?
-- Eu quero o rosa, vó!
-- Eu também quero o rosa, vó, esse anel combina mais comigo!
-- Vó, se tu não me der o rosa, eu vou chorar, vou contar pra minha mãe...
E sem saber o que fazer com as três netas impertinentes preferindo o anel de pedrinha quartzo rosa, a minha avó tomou uma decisão muito simples e sábia:
-- Então, vamos fazer um sorteio gurias...
Cada caixinha preta que continha o anel tão desejado estava fechada e assim não poderíamos saber qual a cor do anel que o destino nos reservaria. 
Minha prima do meio tirou o anel de pedrinha azul.
Minha prima mais nova tirou o anel de pedrinha rosa.
E eu tirei o anel de pedrinha verde.

Estrelas também sabem nadar




Poesia publicada na Antologia Escritos de um Verão pela Editora Illuminare (2017)


Foi naquele verão
Que eu escutei
Aquela canção
Um som de um violão
E o mar beijando
A areia vagamente
Com muita calma
Com inspiração!
Os garotos estavam
Como loucos
Procurando sereias na praia
Água de coco?
Pegadas de chinelo
Pegadas de sandália!
Meninas de maiô, biquíni e minissaia,
O vento tocando a lua
E o luau acontecendo
Na beira de praia!
Saudades...
Novas e antigas amizades
Um colorido de um verão qualquer
Alguém sozinho
Pensando na vida
Perdido na maré alta
Tomando um sorvete
Comendo um picolé!
Olha o sonho!
Grita o confeiteiro
Lá da outra esquina
Pão caseiro?


Mesa de bar





Uma noite fria
Chuvosa
Escura
Nua sem estrelas
Um lugar de pouca gente
De insanos, malucos e crentes
Um bar
À meia luz
Ele olha para ela
E a seduz
Com dois goles de uísque
Ela ri duas vezes
Antes que ele pisque
Não fala nada
E acha que ele
Tem um ar debochado
Só faz piada
Ele ascende um cigarro
E ela
Até finge que olha para o lado
Ele precisa beber algo...
Álcool?
Para esquecer seu matrimônio
Ela já nem sabia
O que procurava
De seu sonho
Tinha esquecido
Mal lembrava...

A filosofia dos sentidos




Hoje, dia 05 de Agosto de 2017, eu aprendi uma filosofia de vida...
Um rapaz com câncer dizia para um senhor com Alzheimer:
-- Deus te deu dois ouvidos, dois olhos e uma boca, então escute mais, observe mais e fale menos. Ele dizia isso para o "vovô", pois o mesmo não parava de falar alto, gritando e reclamando de sua situação, pois além da demência muito avançada, aquele senhor estava com alguma outra complicação cujo eu não consegui identificar a causa.
Nossa eu achei isso tão esplêndido! Ouvidos, olhos e boca...Uma metáfora, uma comparação.
Eu estava na emergência da Santa Casa esperando para ser atendida, devido a uma infecção urinária, passei a madrugada toda ouvindo o rapaz com câncer conversando com esse senhor. 
Literalmente incrível!
Eu não dormi, pois fiquei conversando com a minha mãe.
E o rapaz com câncer no outro dia, todo empolgado, veio e me disse assim:
-- Ah guria, agora tu estás com sono né? Não dormiu de noite né? -- E ele sorriu para mim.
Eu sorri para ele e não disse nada, porque realmente eu estava anestesiada de sono.
Novamente, ele passa por mim, eletricamente, e disse:
-- Força e fé, vamos tomar um café?

Amor veneziano





Foi um amor
Que aconteceu
Em Veneza
Em meio à praia
Longe do sol
Próximo à natureza
Um amor
Que se perdeu
Perto de Verona
Ou talvez
Em Roma
Trágico
Mágico
Tipo Romeu & Julieta
Um amor veneziano
Entre uma francesa
E um romano
Eles eram
Apaixonados
Tomavam café
Conversavam juntos
E jogavam pétalas de rosa
Num lago
Viviam de arte e de afagos
Falavam de amor
Por toda parte
Visitavam museus
E riam sozinhos
Entre ruelas quase desertas
Ai meu deus
Como ele amava ela!
Uma pintora
Louca por aquarelas
Que por acaso
Um dia
Pediu uma carona
Para um escritor desconhecido
Eu duvido
De imediato ficaram amigos
Mas dizem que foi amor
À primeira vista
Em um passeio
De gôndola num rio
Eu creio
Foi o lugar
Em que ela sorriu primeiro
E o céu veneziano
Inspirava
Aquele poeta romano
Um tanto insano
Por cartas de papel
Ele vivia à moda antiga
E era gentil
Comprando torta doce
E margaridas!

Filmes & Poesias




A Bela & a Fera 

No interior da França
Vivia um príncipe 
Um tanto cruel e mimado
Que escondia os mistérios
De seu passado
O príncipe
Agraciado por sua beleza
Em um baile
Em seu castelo
Poderia estar
A procura de sua princesa
Se uma bruxa
No meio da noite
Não aclamasse por abrigo
A vossa alteza!
Ela lhe ofereceu
Uma rosa
Por gentileza
Ele tão convencido
Não mostrou-se cordial
Tão amigo
E sem candura
Expulsou a bruxa
Por sua velhice, pobreza e feiura!
A feiticeira
Vendo o príncipe
Agir daquela maneira
Tão fria e arrogante
Com sua magia
Desfez-se de seu roupante
Mostrou que beleza
Ela tinha 
E como punição
Lançou uma
Maldição no castelo
E em todos que lá
Habitavam
Quem dera
O príncipe virou
Uma fera
E para quebrar o feitiço
Voltando assim
A sua antiga aparência
O príncipe deveria
Descobrir o amor
E ser correspondido
Senão o seu castigo
Seria ser uma fera
Por toda a sua existência
Mas que desgosto!
Quem seria capaz de amar
Um monstro?                                     

Onde a neve encontra o mar






Quando a neve toca o mar
Já posso sentir
E respirar
Esse ar tão gélido
De um lugar desolado
Ibérico 
Pretérito
De um silêncio
Sem mistério
A neve cai 
Junto a um firmamento
Bem devagar
E acompanha a sorte
O caminho do vento!
Sem reclamar
A neve faz cócegas no mar
E suas ondas
Riem 
Para lembrar 
Quando flocos de neve
Tão pequeninos
Dançam com o mar!
É a mesma neve
Que cobre o navio
As águas de um rio
E um  chapéu 
De um menino
Recém formado
Bailarino
Que se põe a flutuar
Sobre um lago congelado
Quando o mar está de ressaca
Agitado!                                                  

La serveuse




Bonjour
Dit la serveuse
Accepte
Un café avec de la baguette?
S'il vous plaît
Il est une gracieuseté de la maison
Ah oui
Dit le client
Merci!
La serveuse se précipita
Échange la crème brulée
Par Ambrosia!
Accepte un chocolat chaud?
Entré dans la cafétéria
Un autre client!
Bonjour!
Un croissant
Un Petit Gateau
Que chic!
J'ai adoré ce bistrot!
Monsieur?                                              

A garçonete parisiense




Bonjour
Diz a garçonete
Você aceita 
Um café com baguette?
Por favor
É cortesia da casa
Ah sim
Agradece o freguês
Merci bocu
Muito obrigada!
A garçonete
Na correria
Trocou La Crème Brulée
Por Ambrosia!
Quanta serventia!
Aceita um chocolate quente?
Entrou na lanchonete
Mais um cliente!
Bonjour
Um croissant
Um Petit Gateau
Que chic!
Amei esse bistrô!
Monsieur?
Uma limonada
Por favor,
Sem açúcar!
A garçonete
De avental amarelo
Sem querer,
Recebeu um selinho na nuca!

Tic Tac

Tique Taque
Corre o vento
Aconteceu um 
Contratempo!
Nessa cidade
Onde eu moro
Acelera tudo
Com movimento!
Tic Tac
Acorda cedo
Alguém disse
Bom dia
Pelo whatsapp
Revelou algum segredo?
Tique Taque
Passam as horas
Do escuro eu
Tenho medo!                                                                                                             

Notícias do blog

                               
06.05.2018
 Agora leitor, você pode ler os contos Bella Luna: A magia de uma princesa e Uma noite feita de dúvidas pelo meu perfil no wattpad! Leia, comente e deixe seu voto! Não esqueça de seguir o perfil! Bjus e muito obrigada.   https://www.wattpad.com/user/elisarpacheco/about                       

21.04.2018

 Nosso blog está completando 6 anos da mais pura poesia! Parabéns para nós!!! Aceita um pedaço de bolo poético? 




08.04.2018

 Divulgando o conto de terror A CASA NA COLINA da escritora Cristina Faraco, leiam e votem, é muito legal! https://www.wattpad.com/user/Cristina_Faraco

30.01.2018

 Você gosta de contos/romances medievais? Está curtindo e acompanhando a nova novela das sete da Rede Globo "Deus Salve o Rei"? Então você também pode gostar da Antologia Reis & Rainhas - contos medievais lançada em Março de 2017 pela Editora Illuminare com o meu conto (de 16 páginas) em destaque literário:  Bella Luna: A magia de uma princesa.


07.12.17
 O blog atingiu mais de 100.000 visualizações!
                              Ultrapassou 1.600 curtidas de página!
                              Alcançou mais de 800 seguidores! Queremos mais! Queremos 1000!!!
                             #compartilhepoesia 



04.08.17

  Um amor veneziano está sendo bem comentado no blog, e você gostaria de viver um romance em Veneza? Un bacione! http://www.elisaentregotasdepoesia.com/2017/07/amor-veneziano.html

 Uma nova inspiração em "Poesias no Divã", dizeres sobre um sonho, sobre a vida, e sobre o mar que te inunda, acesse http://www.elisaentregotasdepoesia.com/p/blog-page_30.html


16.07.2017
 Hoje eu tive um sonho estranho. Sonhei que andava numa praia onde a areia estava toda coberta pela neve. É, pelo visto o inverno chegou até nos meus sonhos! E inspirou uma nova poesia, "Onde a neve encontra o mar", acesse e deixe seu comentário! Será que existe esse lugar? 


07.07.2017                                                    


Você já pensou em trabalhar em Paris e se sentir como uma garçonete parisiense? Deixe seu comentário. Oui! 



05.07.2017
O blog está de parceria nova com a agência Comunic@ Autor, venha conferir e conhecer este site! http://www.comaut.com.br/

Em breve o blog estará com seu canal no youtube! Aguardem novidades! 


  Nova postagem no blog "Tic Tac", uma sátira poética do despertador! Deixe seu comentário! http://www.elisaentregotasdepoesia.com/2017/07/tic-tac.html