> Elisa entre gotas de poesia: Filmes e Poesias

Filmes e Poesias

A duquesa (2008)






A duquesa
Tão jovem e animada
De família rica
Da nobreza
Aos dezoito anos
Já era casada
Com o duque de Devonshire
Pelo qual ela
Pensara ser amada
Em sua noite de núpcias
Já fora contestada
Sobre suas vestes e indumentária
Ela nem imaginava
O quanto ele era prepotente
Arrogante
E o quanto ela
Seria solitária!


Ela respondeu que seu
Vestido
Era sua forma de expressão
De sua personalidade feminina
Georgiana Spencer 
Se casou tão cedo
Ainda menina
Cheia de sonhos e romantismo
Mas ficou perplexa com
A secura do marido!
Reclamou para a sua mãe
Da tamanha prepotência
De seu cônjuge 
Que mal lhe dava atenção
Ela exigiu
Que a duquesa agisse com
Cautela e paciência
E que tal situação
Mudaria com a chegada
Do primeiro herdeiro!
Mas o desconforto
Da duquesa continuou
Corriqueiro
E o duque só pensava
Em seus cães, amantes,
Negócios e dinheiro!
William Cavendish era indiferente
Seu amor por Georgiana
Não era verdadeiro
De fato exigente!
G se sentia sozinha e perdida
No matrimônio e na vida!
Era muito querida
E bem quista na sociedade aristocrática!
Era prendada e simpática
De grande perspicácia!
Apreciava jogos de azar
Sabia falar latim, francês e italiano,
Gostava de se expressar
Exibindo seus vestidos
Seus tecidos, seus panos!
Tinha habilidades para dança
E para moda
Vivia numa roda viva
De muitas turbulências
Tinha lábia, compostura,
E muita influência política!
De imensa popularidade
Não conseguia engravidar
Do filho homem
Gerando duas filhas
Teve abortos e dificuldades!
Desenhava seu próprio figurino
Após inúmeras tentativas
Seguidas até de um estupro
Conseguiu ter seu esperado menino!
O duque de Devonshire
Teve muitas amantes
Inclusive teve um caso
Com sua melhor amiga
Bess Foster
Isso foi frustrante!
Abalou sua vida amorosa!
Georgiana era teimosa
À frente do seu tempo
E até tentou tirar vantagem
Desse relacionamento
Tendo um envolvimento
Com Charles Grey
Um homem romântico e liberal
Com quem ela descobrira
O prazer o amor
Mas a duquesa
Com muito sofrimento e dor
Teve que deixar seu amado
Senão o duque a impediria
De ter seus quatro filhos
Ao seu lado!
Isolada, sem liberdade,
E com muita angustia em seu coração
A duquesa de Devonshire
Parecia viver em uma prisão!
Em uma jantar
Uma revelação!
Uma gravidez inesperada
De uma filha bastarda
Chamada Eliza
Que fora retirada à força
De seus cuidados
Para ser criada pela
Família do homem
Por quem houvera se apaixonado!


Gostou do filme?
Assista logo, antes que o baile termine!



0 comentários:

Postar um comentário