> Elisa entre gotas de poesia: O caracol retorcido

O caracol retorcido





O caracol
Retorcido
Torce, retorce
E no inverno
Sempre está
Com dor de ouvido!
Resolveu fazer
Tricô e costurar
Um lindo tecido
Para tentar
Tapar o buraco
De seu umbigo!
O caracol já
Crescido entra
E sai de seu casco
Adora fofocar
E fazer fiasco!

Só come verduras
Não come churrasco!
Quando o dia está
Com muita
Umidade, ele
Fica pendurado,
Debruçado na
Parede, no muro
E na grade!
Rola, rola
O Caracol
Se despreguiça
Que amanhã
Tem sol!
Ele rasteja
E beija o
Chão
Conversa com
O vaga-lume
E se esconde do
Escorpião!
No verão
Caminha devagar
E se espicha com
Preguiça, rola
Rola, rola
E abraça a lagartixa
Que se assusta
E vai embora!
O caracol de tanto
Rolar fez um nó
No novelo de lã
Ficou desesperado
Deu um grito
E pediu ajuda
Para o bicho da maçã
Que veio correndo
Feito um doido
E se escondeu num
Pedaço, frutinha de
Romã!
E o caracol
Enrolado no
Lençol só
Com os olhinhos
De fora
Vê as borboletas
Voando e indo
Embora do casulo
Enquanto ele
Toma banho de sol
Bem tranquilo
Grudado lá
No muro!
O caracol
Tem um primo
Caramujo
Que vive
Nas profundezas do mar
Ele gosta de pescar
E nadar com os golfinhos
E de vez em quando
Sai boiando e conversa
Com as gaivotas e
Com os passarinhos!
O caracol
Se gruda e se
Enrola nas folhagens
E quando chove
Ele faz bolhas
Com gotas de chuva
Ele come plantas,
Cerejas e uvas!
Quando tá feliz
Fica com os olhos
Arregalados
Quando tá com fome
Fica doido, esfomeado!
E lá se vai
O caracol
Enrolado
Caminhando
Bem devagarinho
Com as anteninhas
De fora...








 

0 comentários:

Postar um comentário