> Elisa entre gotas de poesia: A garçonete

A garçonete






Lá vai a
Garçonete
A menina que
Usa patins e
Masca chicletes!
Ela anda pra
Cá e pra lá
Cheia de charme,
Servindo comida
À francesa,
Trazendo bebidas
E canapés, 
Equilibrando a bandeja!
Ela pergunta
Se o cliente
Deseja um café
Ou uma sobremesa:
Banana Split,
Sorvete, ou
Pudim de chocolate
Com cereja?

Oferece um misto quente,
Purê com rúcula
E arroz à grega,
Mas o senhor de bigode
Prefere somente iscas de peixe
E uma cerveja!
Ela é loirinha,
Ela é muito chique
Serve muitas
Bebidas e variados
Tipos de drinks!
Uma moça prendada
Que não suporta
Ficar parada,
Desfila no
Bar, na lanchonete
E no restaurante
Sempre de salto alto,
De alto astral,
Muito elegante!
Ama ser paparicada,
Na véspera de Natal
Serve rabanada,
Mas no Carnaval
A clientela bebe
Um chopinho e
Come empada folhada
De azeitona
Com bolinhos de aipim!
Vida de garçonete
É uma maratona
No inverno
Ela serve
Vinho, cappuccino
E fondue de queijo,
No verão
A gurizada só
Bebe, petisca
E manda beijos!
De cabelo preso,
Coque, ou
De chapeuzinho
Ela pisca o olho
E joga um
Charminho!
Usa brincos,
Põe batom
E vive mudando
De avental:
Preto, branco,
Marrom ou vermelho,
No intervalo
Sempre arranja
Tempo
Para ficar
Se maquiando
No banheiro!
Trabalha de
Domingo a
Segunda,
Mas
Ninguém entende
Por que ela sempre
Anota o pedido
E sai
Empinando a bunda!
De vez em quando
Leva uma cantada
De algum freguês embriagado
Mas
Nunca perde a pose
E continua servindo
Pão francês com
Creme de aspargo!
Gosta de movimento,
E anda sempre
Com o cardápio na mão,
Não deixa
Nenhum cliente
Esperando,
Serve sanduíches,
Hambúrguer, 
Salada de alface e
Tomate com pimentão!
E sempre
Ao fim do expediente
Ela vai embora
Toda sorridente
Ainda mascando
Chicletes,
Ela tranca a porta
E fecha a lanchonete!
Que engraçadinha,
Lá se vai a
Garçonete!   








 

 



0 comentários:

Postar um comentário