> Elisa entre gotas de poesia: A menina que sonhava em ser bailarina

A menina que sonhava em ser bailarina







Era uma vez...
Uma menina que sonhava em ser bailarina!
   Desde criança ela dançava, e dançava na frente do espelho com roupas coloridas. A menina era muito extrovertida e não tinha medo nem vergonha de sair dançando por aí. Ela gostava muito de imitar as coreografias que apareciam na televisão. A menina dançava de tudo um pouco: samba, axé, hip hop e até dança de salão! Sim, ela dançava junto com suas bonecas! Seu quarto era uma festa, uma discoteca! Ela ligava o rádio pela manhã e ficava lá, rodopiando até ao meio dia. Depois ela almoçava, dormia um pouquinho, sonhava que estava dançando e já acordava cantando! Lá da minha janela do quinto andar, eu nunca tinha visto antes, uma menina que amava tanto dançar! Ela era apaixonada pela música, pela arte, pela dança! Uma criança alegre e dançarina! Qualquer ruído era um motivo de remelexo do corpo! Ela rodopiava e girava, saltava e cantava!


      Uma vez, um moço flautista passou tocando pela rua e a menina ouvindo aquele som adocicado, já foi logo correndo para dançar ao seu lado! Ela dançava sem parar, nem parecia cansar, parecia mesmo que ela amava a valsa da vida. Para aquela menina, magrinha, de cabelos longos e negros, a vida não tinha sentido sem o desejo da dança, sem o ritmo da dança! Ah, e como eu lembro daquelas saias compridas e coloridas, meio xadrez, de bordado francês que ela usava! A dança dela inspirava a todos da comunidade! O sonho dela era ser uma bailarina de verdade, ir para Rússia e conhecer outras culturas! Aquela menina era forte, dançava com bravura e ao mesmo tempo deixava uma ternura no ar! Seus passos, seu modo de tocar ao chão e no ar, faziam qualquer pessoa parar para vê-la dançar! Aos poucos, devagar, ela foi saindo de seu quarto, de seu casulo e começou a conquistar o mundo. 
     Um dia, aqui na vila, no meio da madrugada, aconteceu uma batucada de tambor! E a menina saiu correndo pra dançar com todo o seu amor! Outro dia chegaram da Bahia umas baianas rodopiantes e a menina dançou, dançou mesmo com os seus cabelos esvoaçantes! Numa tarde, quase ao anoitecer, com os pingos de chuva caindo na janela, lá estava ela, dançando com seus olhos encantados, acompanhando o movimento, o brilho das estrelas.
        Ninguém entendia muito bem da onde aquela menina herdou o dom de dançar. Dom não, talento, desejo, vontade mesmo de se deslizar e de se esticar sob o vento, sob a lua, sob a chuva e para as pessoas passantes. Sua mãe era cozinheira, e seu pai era pescador! Talvez, as batidas da panela tenham lhe inspirado os primeiros passos de uma bailarina... Essa menina, dançava desde pequenina! Ainda lembro daquele dia, que ela ganhou um violão. Enquanto seus amigos tocavam, ela dançava com os pés, com as mãos, com a alma e o coração! 
        Mas um dia essa menina sumiu, desapareceu! Passou um circo na cidade e a levou embora. Ou foi ela quem quis viajar junto com o circo.A dança já era uma viagem pa
ra ela e para os sonhos dela! Na sua ausência a comunidade perdeu seu ritmo, sua dança, seu frevo! Ninguém nunca mais viu a bailarina dançar e bailar com suas tranças. Todos se perguntavam: será que ela cresceu e ingressou no Ballet Bolshoi? Aquela menina tão franzina teria ido para o Rio de Janeiro? Uma cidade que tem o carnaval o ano inteiro? Mas ela também amava dançar o Maracatu no Recife e em Salvador! Ou talvez ela tenha ido pra Joinville, Santa Catarina, dedicar-se à sua carreira de bailarina! Foi um desespero, o povo não sabia mais o seu paradeiro! Muitos tentavam adivinhar para onde essa menina teria ido dançar!
        Em uma tarde nebulosa, onde apenas se viam as nuvens e os raios dançando no céu, depois de alguns anos, a menina, já crescida volta casada com um rapaz coronel! Ela havia o conhecido no circo em uma das suas apresentações! O tal coronelzinho teria se apaixonado por suas pernas delicadas que não paravam de bailar encantar a plateia emocionada! A menina que já era uma jovem senhorita, com laços de fita cor-de-rosa no cabelo, tinha viajado pelo Brasil e pelo mundo inteiro, para mostrar o seu perfil, o seu gingado, a sua habilidade, profissão de bailarina. Depois do circo, ela resolveu se especializar e cursar uma faculdade de dança. Hoje, ela é professora e ensina outras crianças a dançar todos os ritmos possíveis e imagináveis. Ela abriu uma companhia de dança chamada "Faz-se Girar, Faça-se Dançar". E a menina continua dançando, e como dança essa bailarina!




0 comentários:

Postar um comentário