> Elisa entre gotas de poesia: A empregada doméstica

A empregada doméstica






E lá vai
A empregada
Toda engomada
Limpar o chão!
Ela varre, varre, varre
E ao mesmo tempo
Acende o fogão!
Quando ela vai
Assar o frango
Ela liga o rádio
E dança tango!



Lá vai ela...
Toda engomadinha
Limpar a pia da
Cozinha!
A vizinha aparece
Na janela
E olha o serviço dela:
Quanta correria,
Quanta arrumação!
Corre pra cá,
Corre pra lá,
Limpa aqui, limpa
Ali! Esfrega o chão
E tira a poeira dos
Móveis e da Televisão!
Passa pano, tira a sujeira
Do vidro!
Toca o telefone!
Ela atende e fofoca
Com o marido!
A patroa chega,
Ela desliga o celular
E tira os fones do
Ouvido!
Começa a cantar,
Tagarelar de novela,
Ela corre pra cozinha
Ainda falta lavar
Os pratos e as panelas!
A empregada engomadinha
Não tem vida de
Cinderela
Mas ama um
Sapatinho de cristal!
Ela arruma o armário
E faz o que a patroa
Gosta:
Não põe sal na comida!
Ainda mantém a casa
Limpa e florida e
Muito perfumada!
Nem a Branca de Neve
Tinha uma casa
Tão arrumada!
E lá se vai
A empregada
Toda engomadinha
Limpar a casa
Da outra vizinha!




1 comentários:

  1. Oi Elisa, muito legal o teu blog. Vamos poder brincar muito de poesia, juntas, lá pelas bandas da Poética do Letramento. bjs. Elaine

    ResponderExcluir