> Elisa entre gotas de poesia: No elevador

No elevador








Entro no elevador,
Escuto uma
Música,
Começo a cantar...
Sobe e desce
Parece que alguém vai
Entrar,
Não,
Ninguém,
Fico sozinho
Com vontade de
Fumar,
Não, não
Pode!
Escuto outra
Música, agora sim
Outras pessoas
Entram no elevador...
Será que ele vai cair?
Claro que não,
Pois o elevador
Precisa descer e subir!



Minutos vão,
Minutos vem,
E aqui não entra
Quase ninguém!
Puxa, esse elevador
É mais rápido que
Um trem!
Quanto vaivém
De pessoas, não
É à toa que estou
Aqui, abrindo,
Fechando e segurando
A porta!
Silêncio, a  música
Parou, e o elevador
Trocou de andar!
Espera, calma
Parece que mais
Alguém quer entrar!
Sobe ou desce?
Parece que está
Indo para o térreo!
Ah, mas eu queria
Ir para a garagem
Ou subsolo: um, dois, três!
Ah, sai daqui!!!
Ou entra de uma vez!
Quanto cliente, quanto
Freguês!
Isso aqui até
Parece um shopping,
Um hotel, mas não
É!
É um elevador!
Com licença
Meu senhor,
Sobe ou desce?
Eu queria era sair
Daqui!
Socorro, meu Deus,
Será que o elevador
Vai cair?
Não, ele está em
Manutenção!
Mas já vão consertar...
Sabe como é..., né?
Elevador de praia...
Praia? Mas estamos
Na cidade!
É verdade, acho
Que estou ficando
Louco, ou tonto
Enjoado, cansado
De tanto ir e vir,
Subir, descer,
Nesse pra baixo e pra cima!
A música voltou!
Não, a luz
Apagou, o elevador
Enguiçou, estamos
Trancados, vamos
Morrer?
Não, aperta o
Botão vermelho
Que já vamos
Descer!
Tenha um
Bom dia!






0 comentários:

Postar um comentário