> Elisa entre gotas de poesia: 2012

Um conto para uma fada contar...




      Em um mundo bem longínquo, em uma outra dimensão, vivia uma fadinha com a sua vara de condão. Ela sobrevoava sobre o céu com uma asa só. Uma asa só? Sim, com apenas uma asa, ela voava junto com as borboletas e com os beija-flores da floresta! Essa fadinha se chamava Florentina, porque ela nasceu na Primavera, sobre o perfume de variadas pétalas de flores. Na Fadolândia, cada vez que uma fada nascia, ela se incumbia de realizar desejos. Mas, como Florentina havia nascido com uma asa só, ela só poderia realizar os desejos de muitas meninas e meninos, se ela conseguisse uma outra asa para aguentar as tempestades, e ventanias que o Planeta Terra tinha. Caso o contrário, ela não conseguiria fazer realizar o desejo das crianças que ela deveria ajudar!
Assim, a fada Florentina tentou de todos os jeitos, conseguir uma asa emprestada. A sua primeira tentativa foi pedir ajuda à fada madrinha, pois muitos saberes ela tinha! E com toda a sua experiência e sabedoria, ela lhe falou:
            - Florentina, minha menina de uma asa só, procure todos os seres encantados, vá a todos os lugares, atravesse os sete mares, os riachos e as montanhas, voe contra o vento, ultrapasse o arco-íris, faça-se aventurar, para a sua asa poder encontrar! Procure o que desejas na terra, no céu, no fogo, no ar, tuas aprendizagens vão te mostrar a construção para a tua estrada, voe, voe além do reino das fadas...

Una sorpesa a Venezia




    Una volta, ho incontrato un uomo molto misterioso in una stanza di hotel. Era molto affascinante, come un attore cinematografico. Come io sono una ragazza molto timida, ho lasciato le chiavi della macchina sul pavimento e non ho visto. Dalla reception, lui gridò: la signorina, la sua chiave. Sono tornata e ho detto, grazie, come si chiama?Lui ha detto che il suo nome era Carlo Sanches. Ho detto che il suo nome non era italiano. Mi ha mostrato il suo passaporto, era dal Messico. Cordialmente, mi ha aiutato a portare la mia valigia in camera mia, e ho avuto una sorpresa quando mi invitò a fare colazione il giorno successivo. Lui voleva sapere di più sull’ Italia, dal momento che il suo viaggio era previsto per settimana prossima Abbiamo parlato della gastronomia, dell´arte,  della cultura e della lingua italiana che è molto bella. Dopo questo incontro, non l'ho mai più rivisto. Ma un giorno, ho ricevuto una rosa con un biglietto che mi invitava a cena di notte in un ristorante di Venezia. Io, troppo curiosa, sono andata al posto, e quando l'ho visto, quasi non ho creduto. Mi ha detto che era felice con la nostra prima conversazione, e lui era molto interessato a me. Mi ha seguito, anche avuto il mio telefono alla reception. Oggi, siamo sposati e siamo in luna di miele a Venezia.

L’ Amore d`infanzia




         Quando ti ho visto la prima volta, mi sono innamorata. La mia passione per te, è cominciata a scuola, quando ti ho visto suonando la chitarra nel patio della scuola. Ancora oggi, mi ricordo di quella canzone che parlava della luna, del sole, del mare, ho sognato di stare con te. Una settimana fa, ti ho visto passare qui sulla mia strada, sembravi diverso, più forte, ma ho subito riconosciuto il tuo fascino e il tuo taglio di capelli, sai che mi piace il tuo modo di essere, perchè mi piace un uomo scuro. Non ho mai dimenticato Pablo, così sono riuscita a scoprire dove tu vivi e ho messo il biglietto nella posta di casa tuacon il testo della prima canzone che ti ho visto cantare un giorno a scuola.
Io sono un amore eterno!
Baci

Monólogo das Princesas Modernas






    -- Era uma vez... Para, fala, chega de era uma vez..., blá, blá, blá...,  não é mais era, é agora, eu saí dos contos de fadas e invadi a realidade, o cotidiano, eu sou uma princesa moderna. Ué? Você não percebeu? Estranho! Pois há muitas princesas desfilando por aí, com vestidos chiquérrimos! Agora as maçãs não são mais envenenadas (as orgânicas, porque as com agrotóxico, com apenas uma única mordida eu desmaio).  Nós princesas comemos a maçã para fazer dieta, entre outras frutas e legumes para emagrecer. Sim, é a mais nova invenção das bruxas, para que nós ficássemos bem magrinhas, e sumíssemos, assim as bruxas poderiam reinar e dominar o reino! Todo mundo adora reinar por aí! Mas comigo, isso não funciona não, eu nem como maçã, eu prefiro desfilar por aí, usando meu óculos Ray ban. É um luxo, me sinto toda poderosa, glamourosa, é um privilégio! Eu sou uma princesa moderna, não sou mais toda certinha, cheia de cortejos, eu tenho desejos, eu faço caretas, pinto as unhas, faço escova progressiva, tenho "luzes" nos cabelos, eu uso Whatasapp, Instagram , posto fotos no Facebook, exibo meus penteados, minhas maquiagens, meu novo look! Eu entro no Tinder para teclar,namorar, ficar, flertar, quem sabe um dia, talvez..., até casar, será? Eu faço compras online  no mercado livre. Vocês sabem, né, agora tudo funciona online/offline. Se algo porventura não me agrada, eu deleto! Foi pela Internet que eu comprei esse lindo vestido vermelho da moda, eu fico linda, pois essa cor me emagrece! Mas eu também sou uma princesa de mil e uma utilidades, eu uso Bombril Assolan, eu durmo tarde e acordo cedo todas as manhãs, eu estudo, eu varro a casa, eu lavo a louça, eu passo roupa, mas não fico só nisso não, hoje em dia, não basta apenas ficar lavando o chão! Eu trabalho fora, eu preciso ganhar dinheiro para gastar quase tudo no shopping! É lá que eu compro meus sapatinhos de cristais, de couro, de camurça, de vidro... Um dia conheci um príncipe, um vendedor tão romântico, simpático e querido, já adicionei ele no meu perfil, meu 1001 amigo! Agora está fora de moda ficar perdendo sapatinho por aí, até a Cinderela sabe disso. Hoje, nós mulheres colecionamos sapatos, muitos sapatos, muitos e mais muitos sapatos. Ah, eu quase me esqueci, estou atrasada para ir ver um musical da BROADWAY. Meu sonho é cantar na BROADWAY: "foi você o sonho bonito que eu sonhei, foi você, eu lembro tão bem, você mais linda visão...". Eu amo cantar, é um talento que uma fada me deu desde quando eu nasci! Meus pais são músicos! Ah, estou atrasada, eu preciso me arrumar, meu príncipe encantado já vai chegar, nós marcamos de nos encontrar pela Internet, eu até já chamei o Uber! Agora, por gentileza, vocês me dão licença, pois eu preciso então desmaiar, porque com um lindo e romântico beijo, ele há de me acordar! Alguém desliga esse maldito despertador! 

Que mulher é essa?




Que mulher é essa que me veste?
Que veste Daslu, que é princesa,
Que é Branca de Neve, que é erótica,
Romântica, sensual, Capitu?
Que mulher é essa que ensaia Xanadu?
Que mulher é essa,
Tão magra, fina, transparente
Que veste um vestido vermelho...
Que mulher é essa que se admira
Tanto no espelho?
Que mulher é essa que a mídia
Inventa, institui uma linguagem,
Insere  feminilidades?
Que mulher é essa, será uma miragem?
Vaidosa, que exala luxuosidade,
Usa salto alto, faz chapinha e usa maquiagem...
Que mulher é essa que eu vejo
E adquiro este desejo latente de ser...?
Que mulher é essa que eu quero
Ser quando crescer?

O rap do excluído




Eu moro na favela, e lá não tenho chance,
eu quero estudar, mas tô sem alcance.
A camada popular é dominada,
por uma elite que se diz alfabetizada.

A vida é difícil, não consigo emprego,
mas também tenho sonhos e desejos.
Quero uma oportunidade, para ser considerado,
gente de verdade, pela minha sociedade.

Ou preto, sou pobre, sou discriminado, refrão
tão dizendo que vou virar assaltante.
Cuidado, olhe pro lado, você pode ser assaltado.

A escola fecha o portão pra mim,
não me ensina que eu não devo ser assim,
me exclui, me condena, me passa o laço,
e ainda diz que sou culpado do seu fracasso.

Quero um futuro, minha liberdade,
mas pra mim isso parece uma castidade.
Minha cor, minha cultura, todo mundo pisa,
parece que ninguém me valoriza.

Sou preto, sou pobre, sou discriminado,
tão dizendo que vou virar assaltante.
Cuidado, olhe pro lado, você pode ser assaltado.

Parece que o mundo, lá fora,
é só o branco que controla.
E se eu ficar parado, ele me devora,
por isso mano, eu te digo que eu vivo pedindo esmola.


Melodia e letra: Elisa Riffel Pacheco
Guitarra: Caroline Mariath Correa 










Voltar de férias!


"E esse sentimento de verão? Quando eu penso que vou voltar de férias, já fico planejando como vai ser o meu próximo verão. Fico sonhando com o movimento da praia, com a brisa, o cheiro do mar e as cores que divertem a estação.Voltar de férias é lembrar dos finais de tarde deitada na rede, tomando aquele típico chimarrão. É lembrar de comer um milho com sal e manteiga sem culpa, sem frustração. É lembrar de fazer um passeio à noite, curtir uma balada, caminhar no calçadão.
Nossa, como é bom esse sentimento de veraneio! Como é agradável pisar na areia, molhar os pés na água salgada e sentir- se plena, realizada por um novo ano que começou.
Se a vida inicia nas férias? Isso não posso afirmar, mas quando viajo para o Litoral, às vezes não sinto vontade de voltar. Não importa se o céu está nublado ou estrelado, voltar de férias é lembrar daquele namorado jogando futebol sem camisa, enquanto eu penso nas “comprinhas” do camelô. Voltar de férias é recordar que eu me exibi um pouquinho de biquíni ou de maiô, aproveitando o clima, o sol, a praia, o calor!
E quando cair aquele temporal? Joga- se canastra com os seus vizinhos, amigos, ou simplesmente com o seu avô.
Agora, não sei se você, leitor, pensa como eu, mas não posso voltar de férias e esquecer do crepe “Romeu & Julieta”, do churros de doce de leite e do sorvete de abacaxi com menta. Ah, e aquele pastel quentinho de camarão ou siri, que encanta o paladar de senhores, senhoras, gurias e guris.
Voltar de férias tem um cheiro, um sabor tropical. Essa sensação pode começar no dia primeiro de janeiro, mas quase sempre termina ao findar o Carnaval. Voltar de férias é viajar de carro pela freeway e ter a certeza de que no ano que vem esses momentos acontecerão também."

Meu texto, no concurso cultural Voltar de férias é...Publicado em Zero Hora.

http://wp.clicrbs.com.br/editor/2012/03/02/conheca-a-nona-vencedora-do-concurso-voltar-de-ferias-e/


E você sabe?






O pato Mané não tinha
Chulé, o que ele quer?
Qua Qua Qua... Não sei, pergunta para a galinha!
Que galinha?
A galinha Mariquita
Ela é muito vaidosa e bonita!
O que ela quer?
Có, có, có, não sei... pergunta pra tua avó!
Que avó?
A avó Nina, que quando era criança
Dançava como uma bailarina,
O que ela quer? Não sei....
Pergunta para o João Ninguém!

Não ganhei este concurso cultural mas aí está o meu texto: te amo Porto Alegre!

Concurso Cultural
“Porto Alegre, meu lugar”

Que tri, Porto Alegre, meu lugar é aqui!

Porto Alegre,meu lugar, é aqui que eu quero ficar. Pode parecer nostálgico ou apaixonante mas esta cidade é contagiante e aconchegante! Quando eu me acordo pela manhã e não vejo toda aquela movimentação, já sei, é Domingo, dia de passear no Brique da Redenção. Como é boa essa sensação de ser porto-alegrense, isso é um privilégio que só a gente sente. Ah, eu já posso imaginar aquele velho navio no Cais do Porto chegar...,e o cidadão naquele típico caminhar, indo de lá pra cá, mas que para no meio do caminho para o Pôr-do-Sol contemplar. Nossa, Porto Alegre, como eu gosto de ti, gosto do teu ar, das tuas árvores, prédios, ruas, casas e construções, aqui eu já senti muitas emoções. Teu clima me chama, posso respirar as quatro estações. És colorada, és gremista, tens até um famoso monumento, o Laçador. És essa terra de gurias e guris, gaúchos, escritores, poetas que cantam a tua música com orgulho, respeito e amor. Que metrópole! Que centro urbano! Somos inundados de bairros, praças, parques, ambientes comerciais, e até de restaurantes mexicanos! E não podemos esquecer da tua noite, ela é tão movimentada, me diz: aonde é a balada? Posso estar na Zona Norte ou na Zona Sul, que te vejo minha capital com esse imenso céu azul. Bah tchê que legal essa região, aqui o churrasco é de tradição! Também tem bergamota, erva mate e..., o chimarrão. Não sei não, e se Porto Alegre vira moda no Brasil? Somos esse mix de açorianos, negros, bugres, alemães, italianos, somos esse território que marcamos com essa fala cantada. Porto Alegre, meu lugar, é aqui contigo, minha cidade amada!



Vitrinas






Ao meu andar...
Pelas ruas e calçadas
Fico fascinada
Com as cores e a moda
Das vitrinas
Que atraem olhares e encantam o ego
Das meninas!
São tantas vitrinas
Que vendem uma ótica de mercado,
Que constituem uma arte,
Uma estética
Advinda de uma historia,
De um passado!

Para Você






Tem coisas na vida
Que não se pode explicar
Nem o céu, nem as estrelas, nem as ondas do mar...
Às vezes venho a me perguntar
Se é esse caminho que devo trilhar.

Um dia estou aqui
Outro ali
Já vi muita gente partir
A vida é um desafio
Sigo em frente, não vou desistir...

Paro, contemplo a paisagem
Iludi-me, vi miragens...
Momentos deixam saudades
É preciso ter raça,
É preciso ter fé,
É preciso ter coragem.

O sonho de uma médica

  





Eu era muito menina, mal entendia o significado dos termos e das palavras, porém recordo-me que certa vez, papai olhou para mim e disse:
- Um dia esse jaleco vai ser seu!
Respondi piscando o olho e continuei brincando com minhas bonecas. Entretanto, como desejo de pai, parece ser mais forte que maldição de bruxa de contos de fadas, lá estava eu, diante de um diploma, canudo, que a meu ver, era um absurdo! Não sabia se chorava ou se sorria. Algo de precioso eu tinha, mas pairava a incerteza se realmente, era de vontade minha.
A noite está estrelada, a insônia insiste em permanecer nesta quente madrugada. Eu preciso sonhar para esquecer que estou cansada. Penso... ”Viver em um mundo globalizado me deixa muito agitada. Conseguir relaxar a mente e o corpo, atualmente é quase uma piada!”. Deitada sob a luz da penumbra, eu reflito sobre uma angústia profunda: “Sutilezas ou incertezas da medicina?”.

O Down







O Síndrome de Down
Não é dito
Como normal,
Mas tem todo um charme
Espontâneo, especial!
Pode ter nascido com uma anomalia,
Mas nos contagia
Com todo seu afeto e sua alegria!
A trissomia
Do cromossomo 21
É um desvio de percurso
Que o tornou um ser incomum
Que não o impede de ser feliz
De jeito nenhum!
É diferente,
Ser inteligente
Dotado de capacidades
Que precisam ser motivadas
Para fazer ressaltar
Suas habilidades acomodadas!
Único e exclusivo
Também é cidadão,
Também é indivíduo
Ah, como é contagiante
O seu sorriso!

Psicopedagogia in versus: arte da minha vida










Psicopedagogia
Uma área do conhecimento
Que integra em seu contexto,
Em sua concepção,
Psicanálise, neurociência, psicologia e
Educação!
É uma profissão,
Que tem jeito, ginga, vocação
Em ajudar
Adultos, jovens e crianças
A enfrentar suas dificuldades de aprendizagem
Com esforço e criatividade
Coragem e dedicação!
A psicopedagogia trabalha, envolve, mexe
Com o orgânico, mente, motricidade e o
Coração!
Implica limites e afetividades,
Contemplando sonhos, desejos, culturas e
Diversidades...                                                                                          

Noites sem fim









             Noite quente calor intenso, não há sinal da brisa do vento. Ouço o tilintar das ondas do mar. A praia está deserta, minha insônia é incerta. Pisco os olhos incessantemente, debruço-me sobre as grandes janelas brancas, sonho acordada, ainda há esperança.

Avisto uma sombra, um estranho vulto se aproxima, minhas mãos ficam trêmulas, suadas, sinto um arrepio, será meu capitão do mar que partiu? Ascendo as velas, permaneço na espera... Escuto passos, pessoas rindo, um casal de namorados caminhando entrelaçados. Coço os olhos, pensei que fosse meu bem amado.

Para todos os amigos do mundo






Amizade é magnífica

Deslumbrada aos olhos da verdade
Cativa, quando é recebida
Com enorme sinceridade
Pode ser ilusória ou realidade
Nunca se sabe
A grandeza de sua veracidade.
Existem amigos de raras horas
Que do dia para noite
Vão embora
Amigos singelos,
Doces e sinceros,
Fraternos,
Sensíveis e belos!
Amigos cuja mente
Não esquece jamais,
Aqueles que deixam saudades
Que se corre atrás...
Amigos de festas,
Amigos boêmios,
Amigos cultos, amigos gênios!
Amigos de infância
Aqueles desde criança
Que correm em nossas lembranças...
Amigo fiel
Aquele anjo querido,
Que sempre da um jeito de estar contigo.

É aqui que nos encontramos








Faz mais de cinquenta anos que estamos nos desencontrando, não faz mal 
é assim a vida, e a gente vai levando....
Lembra de tudo que passamos
Pernoitadas longas
Nunca cansamos
Somente os anos foram se passando...

 São tantas facetas
Começo a rir, 
Quando me lembro  de você 
Andando de muletas, caindo pelas beiradas
Naquela festa
No meio da mulherada
Que saudades
Daquelas palhaçadas

Os anos vão passando
Nós se desencontrando
As lembranças vão chegando
As lágrimas vão rolando
Tudo bem
Eu já estou me acostumando...